Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Capa_MAIAS_300dpi.jpg

A novíssima edição de Os Maias, com chancela da Guerra e Paz editores, chegou às livrarias nacionais ontem, dia 23 de Setembro. A receptividade dos especialistas que já a receberam é muito promissora. A edição apresenta uma nova fixação do texto, da responsabilidade de Helder Guégués, actualizando o texto do romance segundo os mais rigorosos critérios ortográficos e tipográficos. Esta nova edição do romance de Eça de Queiroz contém também um posfácio do bisneto de Eça, António Eça de Queiroz, que não hesitou em pronunciar-se sobre o novo livro: «Acabei de sopesar, folhear (e até cheirei!) a edição de Os Maias que a Guerra e Paz acaba de produzir. Excluindo as versões estrangeiras – que conheço mal -, acho esta a mais cuidada e elegante edição que conheço da obra».

 

Também Francisco José Viegas, romancista e ensaísta, se rende a este livro: «Em louvor e simplificação de Os Maias, de Eça de Queiroz (na Guerra e Paz): assim podia ser dito desta edição do grande romance do final do nosso século XIX, preparada por Hélder Guégués – bela edição, simplificação de critérios ortográficos, limpeza de duplas ortografias, paginação perfeita (margem interior maior do que a exterior, como deve ser). O resto são a beleza daquela língua, o esplendor dos retratos de época, a narração, a paleta que ilumina ou obscurece as personagens, o ritmo da história lisboeta, os tecidos das suas roupas, a cor da paisagem, a recordação de cada episódio. Um grande romance é infindável – mas é isto: a sua luminosidade, a nossa gratidão. De cada vez que sai uma edição de ‘Os Maias’ corro a reler passagens, diálogos, descrições. E confiro. É como voltar ao princípio de quase tudo».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Estou a ler...



Tabela de Classificação:



WOOK - www.wook.pt