Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



capa_Bocage 300dpi.jpg

Título: Já Bocage Não Sou

Autor: José Jorge Letria

Editora: Guerra e Paz Editores

Páginas: 144

PVP: 12,50€

 

Lisboa, ano da graça de 1805. À boca da morte, Bocage, o poeta maldito, recorda a sua vida. Vendo a gadanha da velha senhora avançar, deixa para a posteridade o testemunho de uma existência intensa. Os longos anos passados no Oriente, as aguerridas lutas poéticas, a inveja dos poetas menores, a feroz luta contra a censura eclesiástica e os excessos fradescos, a perseguição política movida pelos «moscas» de Pina Manique e a prisão, tudo temperado por uma vida amorosa rocambolesca e libertina.

Com a combatividade que é seu timbre, José Jorge Letria traz para o nosso tempo o século xviii, um século revolucionário, gerador de novas ideias e novos sentimentos, mas também de perseguições e obscurantismo. Resgata Bocage, nome cimeiro da poesia portuguesa, figura contraditória e complexa, cuja memória transcende muito o anedotário popular e a piada fácil a que é tantas vezes associado.

 

Sobre o autor:

José Jorge Letria. É ficcionista, mas também jornalista, poeta, dramaturgo, nasceu em Cascais, em 1951. Tem livros traduzidos em mais de uma dezena de idiomas e foi premiado em Portugal e no estrangeiro, destacando-se dois Grandes Prémios da APE, o Prémio Aula de Poesia de Barcelona, o Prémio Internacional UNESCO, o Prémio Eça de Queiroz--Município de Lisboa e o Prémio da Associação Paulista de Críticos de Arte.

O essencial da sua obra poética encontra-se condensado nos dois volumes da antologia O Fantasma da Obra. Ao lado de nomes como José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, foi um dos mais destacados cantores políticos portugueses, tendo sido agraciado em 1997 com a Ordem da Liberdade. Mestre em Relações Internacionais e doutorando em Ciências da Comunicação, é presidente da Sociedade Portuguesa de Autores e do Comité Europeu de Sociedades de Autores.

Em 2014, publicou, na Guerra e Paz, o seu mais recente romance, A Volta ao Medo em 80 Dias, a que se seguiu A Vida Segundo Goya, uma conversa com o seu cão, Goya, não por acaso um cão sem pressa. Enquanto a palavra morte não couber na nossa boca, impressionante incursão memorialista, é o seu último livro, já de 2016.

Autoria e outros dados (tags, etc)

CAPA_Alvaro Cassuto_300dpi.jpg

Álvaro Cassuto: Maestro sem Fronteiras

Diálogo com José Jorge Letria

Editora: Guerra e Paz Editores | o fio da memória

Páginas: 160

PVP: 13,99 €

Data de Lançamento: 20 de Janeiro de 2016

 

Sinopse

Com uma carreira plena de consagrações e uma consistente obra discográfica, Álvaro Cassuto é o mais internacional dos maestros portugueses. Nesta conversa com José Jorge Letria, o maestro recupera os momentos-chave da sua vida, entre eles a decisão de deixar Portugal para abraçar, em Nova Iorque, aquela que era, afinal, a sua grande vocação: a direcção de orquestra.

Já de regresso ao País, nas últimas décadas, Álvaro Cassuto desenvolveu com a Naxos um trabalho pioneiro na gravação e divulgação internacional dos grandes compositores portugueses contemporâneos, evitando que caíssem no esquecimento, mas sobretudo dando a conhecer ao mundo esse reportório, até então em grande parte desconhecido.

 

 

Álvaro Cassuto 

Cedo se iniciou na música, começando a tocar piano e violino aos cinco anos. Nascido no Porto, foi em Lisboa que o discípulo de Lopes-Graça e Joly Braga Santos cursou Direito e sonhou com a carreira diplomática, mas a magia da batuta falou mais alto. Pouco tempo depois de terminar o curso de Direcção de Orquestra em Viena, o maestro e compositor rumou aos Estados Unidos, onde viria a consolidar a carreira. Professor, director musical e chefe de orquestra, Álvaro Cassuto dirigiu orquestras em Portugal e além-mar, e foi ao seu país que regressou, em definitivo e sem remorsos, nos anos 80, deixando para trás a América e um prestígio internacional que a História não apagará.

 

 

Sobre a colecção

É uma colecção que tem vindo a preservar um património cultural precioso: a vida e obra de grandes personalidades das artes e da cultura em Portugal relatadas em entrevistas a José Jorge Letria.

Foram já publicadas entrevistas com Urbano Tavares Rodrigues, Eduardo Lourenço, Cruzeiro Seixas, João Abel Manta, José-Augusto França, António Victorino d’Almeida, Isabel do Carmo, José de Guimarães, José Tengarrinha e Teresa Rita Lopes.

Sob a batuta do Maestro Álvaro Cassuto, o fio da memória inaugura o programa de edições para 2016 com o seu 11.º título.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

CAPA_Teresa Rita Lopes_300dpi.jpg

Teresa Rita Lopes: Pessoa do Meu Desassossego

Diálogo com José Jorge Letria

Editora: Guerra e Paz Editores | o fio da memória

Páginas: 160

PVP: 13.99€

 

Sinopse

Teresa Rita Lopes é uma das pessoanas que animam o nosso meio académico e ensaístico e procurou sempre formas criativas e inovadoras de manter intenso e renovado o interesse dos leitores pela obra múltipla deste génio que foi muitos sendo apenas um. Tem livros publicados em Portugal e em França e continua, com a energia e a vitalidade que todos lhe reconhecem, a escrever, a viajar e a ensinar, nunca dando por perdido o tempo que lhe permitiu construir uma obra sobre outra obra, sem desistir do teatro e da poesia e de continuar activa, e tantas vezes surpreendente, quando se trata de usar a Internet para escrever sobre aquilo que a emoção regista e não adia.

 

 

Biografia da autora

Teresa Rita Lopes

Falar em Teresa Rita Lopes leva-nos a pensar em Fernando Pessoa, de tal modo os dois nomes e as duas obras se têm cruzado e completado. Teresa Rita é uma escritora cujo talento tem deixado marca na poesia, no teatro e noutros géneros.

 

 

Sobre a colecção

o fio da memória é uma colecção que tem vindo a preservar um património cultural precioso: a vida e obra de grandes personalidades das artes e da cultura em Portugal relatadas em entrevistas a José Jorge Letria.

Foram já publicadas entrevistas com Urbano Tavares Rodrigues, Eduardo Lourenço, Cruzeiro Seixas, João Abel Manta, José-Augusto França, António Victorino D’ Almeida, Isabel do Carmo, José de Guimarães e José Tengarrinha. Com Teresa Rita Lopes, prossegue esta viagem por um tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

CAPA_Isabel do Carmo_300dpi.jpg

Título: Isabel do Carmo: a Luta também cura

Diálogo com José Jorge Letria

Editora: Guerra e Paz Editores | o fio da memória

Páginas: 176

PVP: 13,99€

Data de Lançamento: 20 de Maio de 2015

 

Sinopse

Este é um livro em carne viva. Isabel do Carmo fala a José Jorge Letria da sua experiência revolucionária, das lutas clandestinas que viveu antes do 25 de Abril, da clandestinidade que escolheu para prosseguir a sua opção de luta armada para a imposição de um modelo radical de sociedade comunista. Este é, em discurso directo, o livro de uma mulher que, saída da prisão, reconstruiu a sua carreira médica, sem nunca desistir, nem se render.

 

Biografia da autora

Isabel do Carmo

Nasceu no Barreiro e se há uma palavra que lhe defina o perfil é a palavra «resistência». Lutou contra a ditadura, escolhendo um caminho de resistência activa, revolucionária e armada. Prosseguiu esse seu ideário de luta armada depois do 25 de Abril, o que levaria à sua prisão pelo regime democrático. Doutorada pela Faculdade de Medicina de Lisboa, a Prof.ª Isabel do Carmo é médica endocrinologista e especialista em obesidade e comportamento alimentar.

 

Sobre a colecção

o fio da memória é uma colecção que procura preservar em livro um património precioso: o retrato da vida e o combate das ideias que definem um tempo. Numa entrevista a José Jorge Letria, Isabel do Carmo, sem omitir factos, sem omitir nomes, pinta com as cores vivas da sua memória um período conturbado da história portuguesa, antes e depois do 25 de Abril. Uma conversa feita com o coração.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

  

Chega dia 19 de Março às livrarias o novo título do Clube do Livro SIC, «A Volta ao Medo em 80 Dias», de José Jorge Letria, um dos escritores portugueses mais premiados da actualidade.

Neste seu novíssimo romance, José Jorge Letria oferece-nos a história de um homem que, vivendo intensamente os conflitos e as utopias do seu tempo, não desiste de ser feliz, apesar da maldição de que parece ser vítima.

 

A acção de «A Volta ao Medo em 80 Dias» arranca nos anos 60, com música dos Beatles e de Bob Dylan como pano de fundo, passa pela Guerra Colonial, atravessa o período conturbado que deu origem ao 25 de Abril e acompanha o protagonista até aos nossos dias.

 

«A Volta ao Medo em 80 Dias» é, acima de tudo, uma história de amor, a história de um homem que sabe que um dia dará, com vontade e paixão, um ramo de rosas vermelhas a uma mulher. E são tantas as mulheres que neste romance amam e são amadas.

 

Com este romance, a Guerra e Paz Editores e a SIC comemoram o terceiro aniversário do Clube do Livro SIC, uma colecção que lançou 32 títulos e vendeu mais de 330 mil livros.

 

A sessão de lançamento decorre na terça-feira, dia 25 de Março, às 18h30, na Fnac Colombo, em Lisboa. Com apresentação do Maestro Victorino D’Almeida

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Estou a ler...



Tabela de Classificação:



WOOK - www.wook.pt